A RTA está lançando o mais novo e poderoso sistema de gerenciamento e monitoração de bateria: O GERBATT.

O GERBATT é a nova versão da ferramenta do tipo BMS (Battery Monitoring System) com uma comunicação mais rápida e confiável que outros sistemas BMS, destacando o conceito de plug & play (basta conectar), display touch screen, DPS (processamento digital de sinal), fornecendo elevada precisão e medição da resistência interna e detectando maus contatos, além da tensão, corrente e temperatura de cada elemento no banco de baterias.

Gerbatt

O GERBATT, indicado para monitoração e gestão de bancos de baterias de chumbo cálcio e alcalinas, ventiladas e VRLA, e disponível para bancos de até 240 elementos com tensões de 2V, 6V, 12V e 16V por bloco, maximiza os conceitos de prevenção, disponibilidade, confiabilidade e redução de custos, itens críticos em sistema de energia. Sua aplicação é direcionada a bancos de baterias com missão crítica e necessidade de alta disponibilidade, tais como TI/ TCom, data centers, subestações e sistemas de energia como retificadores, UPS’s, inversores, conversores, etc.

Dentre vários recursos do GERBATT, os principais são:

  • Eliminação de sensores individuais e cabos especiais;
  • Medição da impedância, tensão, temperatura e corrente de carga e descarga, com alarmes parametrizáveis;
  • Histórico que permite total controle e proteção do banco de baterias;
  • Display touch screen, comunicação wifi, gsm, modbus e tcp/ip;
  • As unidades são instaláveis em bancos novos ou já com tempo de vida, em diferentes graus de proteção e customizações.

O GERBATT é aplicável em diversos tipos de baterias e tensões por elementos (típicos de 2V, 12V), obedecendo à mais recente revisão das normas IEEE 1491 – 2012 (Guia IEEE para a Seleção e Uso de Equipamento de Monitorização da bateria em aplicações estacionárias):

Padrão IEEE 1188 – 2005
Prática recomendada para manutenção, teste e substituição de chumbo ácido válvula regulada (VRLA) baterias para aplicações estacionárias.

Padrão IEEE 450 – 2010
Prática recomendada para manutenção, teste e substituição de baterias de chumbo-ácido ventilada para aplicações estacionárias.


Em comparativo a outros sistemas BMS, o GERBATT é a vanguarda em termos de instalação e operação. Até o momento, se desconhece outro que tenha conexão direta, sem sensores individuais. Normalmente, cada sensor é alimentado pela sua bateria individualmente, onde a diferença de cada tensão pode causar um consumo distinto em amperes para cada bateria. Isto pode causar uma diferença na tensão de carga ou de flutuação em algumas baterias no banco, distorcendo a leitura, além da conexão ocorrer numa rede interligada em cada módulo, sendo extremamente lento e ainda correndo o risco de alguns “nós” não poderem se comunicar com o controlador por mau contato ou defeito. Já o GERBATT possui alimentação via adaptador (rede CA) ou banco de baterias, com conexão direta com o microprocessador. Rápido e confiável com menos componentes no caminho do sinal.

Para melhor visualização, a RTA disponibiliza abaixo uma rápida comparação entre GERBATT e BMS com sensores separados:

GERBATT BMS com Sensor individual
Resistência Interna Usa-se o DSP (processamento digital de sinal) para elevada precisão e medição da resistência interna ou impedância. Injeta-se o sinal CA a partir do ponto médio de um banco de bateria. O sinal é simétrico e não causa um desequilíbrio nas baterias do banco.  Devido a restrições de custos associados com módulos , eles não podem implementar processamento de sinal de alto nível para cada sensor. Desta forma a resolução A / D e precisão são baixos, menos imune a ruidos e ripple de carregadores e retificadores,e não se pode alcançar dados de resistência internas significativas para baterias de alta capacidade com 2V/elemento . Cada sensor possui seu próprio circuito de descarga. A diferença vai causar um desequilíbrio em algumas baterias no banco, por variações de impedância de cada sensor, terminal e componentes associados.
Resistência de ligação entre células Na conexão direta a dois fios, a resistência de conexão está incluído na leitura da resistência interna ou impedância . O sistema é capaz de detectar uma conexão de cabo solto. Além disto, a resistência de contato é medida separadamente sabendo-se a impedância de base ou histórica e detecta-se desta forma mau contatos.  Não consegue detectar resistências de terminais ou mau contatos por não ter referência coletiva, somente individual.
Resolução de leitura 16-bit 12-bit ou menor
Proteção de entrada Protegido Pelo sensor ser alimentado pela bateria que está sendo lida, uma sobre tensão pode queimar a unidade, bem como não consegue medir uma tensão baixa ou reversa pelo desligamento por falta de alimentação.
Unidade concentradora Não necessário Obrigatório
Instalação Rápida do tipo plug & play Demorada. Necessário configurar cada modulo para comunicar com o concentrador ou controlador.
Calibração Uma calibração para todos os canais. Calibração individual. Recalibração é necessária frequentemente, principalmente devido a variação da alimentação (tensão da bateria).

Entre em contato com a RTA para maiores detalhes.
A RTA tem orgulho em oferecer esta novidade em qualidade e eficiência, pois Qualidade de Energia, é o Nosso Negócio.